*Perfil

Nome: Cesar Augusto Cielo Filho.
Idade: 21 Anos (10/01/87).
Cidade: Santa Bárbara do Oeste - SP.
Estado Civil: Solteiro.
Altura: 1,95 m.
Peso: 80 Kg.
Cabelos: Castanhos Claros.
Olhos: 1,95 m.

*Biografia


    César Augusto Cielo Filho nasceu em 10 de janeiro de 1987, na cidade de Santa Bárbara d'Oeste no interior do estado de São Paulo. Depois de tentar praticar judô e vôlei, o atleta começou na natação aos oito anos no Esporte Clube Barbarense. Sua mãe, a professora Flávia, foi quem levou César para treinar no Pinheiros, clube da capital paulista que Cielo defendeu em muitas competições importantes. Nos últimos três anos, César Cielo estudou na Universidade de Auburn, onde intensificou os treinamentos de natação. A cidade do Alabama foi escolhida pela tranqüilidade. César Cielo competiu diversas vezes pelo Auburn Tigers no NCAA, tradicional campeonato universitário norte-americano de natação.

    César Cielo foi um dos destaques do Pan do Rio de Janeiro. Nos Jogos Pan-Americanos de 2007, César Cielo conquistou a medalha de ouro nos 50m livre e 100m livre. Além disso, foi fundamental para a vitória da equipe brasileira no revezamento 4 x 100 m livre. Além disso, César Cielo ficou com a medalha de prata no revezamento 4 x 100 m medley.

    Seu ídolo era Gustavo Borges (vencedor de duas pratas e dois bronzes nos Jogos Olímpicos), que depois virou conselheiro do nadador brasileiro. César despontou a quebrar recordes de outro ídolo, Fernando Scherer, o Xuxa (vencedor de duas medalhas de bronze nas Olimpíadas). Xuxa é o atual empresário de César Cielo.
 

    Nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, César Cielo ganhou a medalha de bronze na prova dos 100m nado livre, 10º medalha para a natação do Brasil nos Jogos Olímpicos e a 80º medalha brasileira nas Olimpíadas. César Cielo bateu na fase classificatória o recorde olímpico dos 50m livre com 21s47. Poucos minutos depois, o francês Amaury Leveux superou a marca em um centésimo. Na semifinal, César Cielo voltou a bater o recorde olímpico, com a marca de 21s34. Na final dos 50m livre Césão, como é chamado por amigos e familiares conquistou o primeiro lugar. A inédita medalha de ouro para a natação veio com um tempo de 21s30, apenas dois centésimos acima do recorde mundial do australiano Eamon Sullivan, sexto lugar nesta mesma prova.

*Jogos de Benjin 2008

Participação do Cielo nas modalidades:

50 m livre - Medalha de Ouro
100 m livre - Medalha de Bronze
4 x 100 m livre
4 x 100 m medley

*Pan Rio de Janeiro 2007

Participação do Cielo nas modalidades:

Medalha de Ouro - 100m livre
Medalha de Ouro - 50m livre
Medalha de Ouro - 4x100m livre
Medalha de Prata - 4 x 100 m medley


*Outros Links

Academia Fernando Scherer
Backstreet Brazilian FC
Blog do César Cielo
Blog Paul Walker Brasil®
Blog do Rafinha Bastos
Blog do Marcos Mion
Blog do Danilo Gentili
Blog do Maurício Manieri
Blog da Gisele Bundchen
Blog Backstreet Boys®
Blog Cine-News
Blog do Thiago Pereira
Blog da Pri
Blog André Leono
Carlos Bernard
Flog Paul Walker
Flog do Will Estes
Flog Josh Hutcherson
Flog André Leono
Flog da Shinning Star
Flog do Andy
Flog RGDS
FC do César Cielo
Gustavo Borges
Josh Htcherson
Kiefer Sutherland
Leo Um Gol de Letra
Mundo da Nani
My House Lilás
Ondas do Mar
Paul Walker Fan
Papel Pop
Will Estes
Sobre Natação



*Link-Me



*Créditos

{x} {x} {x} {x}

*Histórico de Mensagens

* 23/11/2008 29/11/2008
* 26/10/2008 01/11/2008
* 21/09/2008 27/09/2008
* 14/09/2008 20/09/2008
* 07/09/2008 13/09/2008
* 31/08/2008 06/09/2008
* 24/08/2008 30/08/2008

*Código HTML

Obrigada por me linkar

© Copyright 2008
Todos os direitos reservados

Tatiana Bertolin

*Contando as Visitas








15/08

           César Cielo fecha o dia como recordista olímpico por 2 minutos

   Dois minutos é mais do que um nadador de ponta leva para nadar a prova dos 50 m livre. Ainda assim, foi pouco para o brasileiro César Cielo curtir o gostinho de ser recordista olímpico. Depois de ganhar a medalha de bronze na prova dos 100 m livre dos Jogos Olímpicos Pequim 2008 na manhã de quinta-feira, 14 de agosto, Cielo voltou à piscina do Centro Nacional de Natação, o Cubo D'Água, para as eliminatórias do 50 m livre, sua melhor prova, no começo da noite. E, ao tocar a borda da piscina como vencedor da sua bateria, ouviu o anúncio de que a prova tinha um novo recordista olímpico: ele, com o tempo de 21s47, 44 centésimos abaixo da marca estabelecida pelo russo Alexander Popov em Barcelona 92, na Espanha. Mas essa alegria durou pouco.

Na bateria seguinte, o francês Amaury Leveaux foi um centésimo mais rápido, roubando a marca do brasileiro e marcando o melhor tempo das eliminatórias. "Cinqüenta metros é assim mesmo. Um centésimo faz a alegria e a desgraça de muita gente", resignou-se o brasileiro, embora seu desempenho tenha sido muito mais motivo de alegria do que uma desgraça.

Cielo disse que tentou descansar à tarde, entre a prova que lhe deu a medalha de bronze e a eliminatória dos 50m livre, mas não conseguiu porque a adrenalina da manhã não tinha baixado ainda. E que ter conquistado a medalha não fez diferença na piscina. Só na Vila Olímpica. "Foi muito legal o fato de todo mundo ter me parabenizado e me cumprimentado na Vila", contou ele, que será poupado da eliminatória dos 4x100 m medley na sexta-feira, 15, à tarde, porque está marcada entre a semifinal dos 50 m livre na manhã desta sexta e a final da prova, no sábado, 16. Seu substituto será Nicholas Oliveira.

Outro Nicholas da equipe brasileira, o Santos, também nadou a eliminatória dos 50 m livre e se classificou para as semifinais com o quarto melhor tempo de sua bateria (a mesma de Cielo) e 11º no geral: 22s00. "Na semifinal, o tempo abaixo dos vinte e dois segundos sai", prometeu.

(Canal Notícias, Netbabillons.com)

         César Cielo bate recorde olímpico e se classifica para a final de natação

  O nadador paulista César Cielo, de 21 anos, se classificou para a prova final dos 50m livre ao vencer as semifinais realizadas nesta sexta-feira, dia 15 de agosto, no Centro Nacional de Natação (Cubo D'Água).

Com o tempo de 21s34, o brasileiro fez o melhor tempo do dia na modalidade e estabeleceu o novo recorde olímpico. O francês Alain Bernard, medalha de ouro nos 100m e antigo recordista olímpico dos 50m, fez o segundo melhor tempo (21s54). O australiano Ashley Callus garantiu a terceira melhor marca (21s68) das semifinais.

O outro brasileiro que competia nas eliminatórias dos 50m livres, Nicholas Santos terminou a segunda bateria da semifinal na oitava posição com o tempo de 22s15.

Um dos favoritos à medalha de ouro, César Cielo volta a cair na piscina do Cubo D'Água no sábado, dia 16, às 10h39 (23h39 pelo horário de Brasília).

                          

(O Norte Online, DB.com)



- Postado por: Pricy às 02h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




13/08

      César Cielo conquista o bronze nos 100m livre e quebra jejum da natação brasileira

 Brasileiro segue em busca de outra medalha na prova dos 50m livre

   O nadador César Cielo garantiu no final da noite de quarta-feira, dia 14, a quarta medalha de bronze do Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim. O brasileiro ficou com a terceira colocação na prova dos 100m livre da natação, com a marca de 47seg67, estabelecendo um novo recorde sul-americano. Cielo dividiu o bronze com o norte-americano Jason Lezak, que cravou o mesmo tempo do brasileiro.

O francês Alain Bernard ficou com o ouro nos  100m livre, com a marca de 47seg21. Recordista mundial, o australiano Eamon Sullivan decepcionou e ficou com a prata, com 47seg32.

   Fim do jejum

Com a medalha, Cielo quebrou um jejum da natação brasileira em provas individuais nas piscinas olímpicas. A última vez que um nadador do Brasil subiu sozinho ao pódio foi em Atlanta-1996, com a prata e o bronze de Gustavo Borges (respectivamente, nos 200m e 100m livre) e Fernando Scherer, o Xuxa, nos 50m livre. Nos Jogos de Sydney-2000, o Brasil levou o bronze no revezamento 4x100m livre, com o time formado por Xuxa, Borges, Carlos Jayme e Edvaldo Silva Filho.

Consciente do feito olímpico, Cielo não conteve o choro logo após a conquista:

"Eu tinha sonhado que havia ficado em terceiro. Era difícil, mas graças a Deus eu consegui. Foi muito bom levar uma medalha numa prova que tem tradição com o Gustavo Borges. Foi emocionante", afirmou em entrevista ao Sportv.

    Cielo quer ouro nos 50m livre

Depois da medalha, o nadador segue confiante em mais um pódio na sua próxima prova:

"Agora eu vou ganhar o ouro nos 50 metros. Foi muito bom, agora vou me soltar porque tenho os 50 metros para nadar ", disse Cielo aos prantos.

O recordista olímpico dos 50m é o russo Alexander Popov, com o tempo de 21seg91, em Barcelona. O recorde mundial é de 21seg28 e pertence ao australiano Eamon Sullivan, favorito na prova em Pequim. A prova da natação será a partir de 7h30min desta quinta-feira, dia 15, (horário de Brasília).

    Resultado - 100m Livre - Masculino - Final

1 - Alain Bernard (FRA) 47.21
2 - Eamon Sullivan (AUS) 47.32
3 - Jason Lezak (EUA) 47.67
3 - César Cielo (BRA) 47.67 (novo recorde sul-americano)
5 - Pieter van den Hoogenband (HOL) 47.75
6 - Lyndon Ferns (AFS) 48.04
7 -Matt Targett (AUS) 48.20
8 - Stefan Nystrand (SUE) 48.33

(clicrbs.com)

  14/08

          Cielo conquista medalha de bronze

 

   O brasileiro César Cielo conquistou a medalha de bronze nos 100 metros livres nesta quarta-feira à noite ao bater junto com o americano Jason Lezak. A medalha de ouro foi para o francês Alain Bernard e a de prata para o australiano Eamon Sullivan.

Cielo obteve o tempo de 47s67, recorde sul-americano da prova, e chegou empatado com o americano Jason Lezak em terceiro. O francês Bernard marcou o tempo de 47s21, seguido pelo australiano Sullivan, com 47s32.

Logo depois da prova, o paulista disse que "É muito bom, parece que era para ser, eu tinha sonhado que tinha ficado em terceiro, mas acordei e falei estou na raia oito. Mas consegui. É muito bom trazer essa medalha para o Brasil".

Essa é a quarta medalha do Brasil nos Jogos de Pequim, todas de bronze, as outras três vieram do judô. A natação brasileira não conquistava nenhuma medalha olímpica na natação desde Sydney-2000, com o bronze do revezamento masculino 4x100m livre.

(Veja, Abril.com)

           

        



- Postado por: Pricy às 17h43
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




Problemas técnicos!!

  Devido a alguns problemas técnicos, infelizmente não pude atualizar o blog, mas agora estarei revisando a partir das Olímpiadas de Pequim.

                 

     12/08/08

  Entre brasileiros, apenas Cielo avança em eliminatórias da natação

  A natação brasileira não teve uma boa atuação nas eliminatórias disputadas nesta terça-feira nos Jogos Olímpicos de Pequim. De quatro provas, os brasileiros conseguiram classificação em apenas uma. César Cielo avançou às semifinais nos 100 m livre, enquanto Joanna Maranhão, Thiago Pereira, Henrique Barbosa e o revezamento 4 x 200 m livre masculino ficaram pelo caminho.

Cielo fez o tempo de 48s16 e terminou em quarto lugar em sua bateria e em sétimo lugar na classificação geral.

O primeiro lugar ficou com o australiano Eamon Sullivan, com o tempo de 47s80. O segundo foi o sueco Stefan Nystrand, com 47s83, e o terceiro foi o canadense Brent Hayden, com o tempo de 47s84.

(Diario MS )

 

    Natação: César Cielo conquista vaga para as semifinais dos 100m livre

  A natação brasileira teve uma boa notícia para comemorar.O velocista César Cielo conseguiu uma vaga na semifinal dos 100m livre, depois de marcar o sétimo melhor tempo no geral, com 48s16. Na sua bateria esteve o australiano Eamon Sullivan, que com a marca de 47s80 fez o melhor tempo entre os 16 classificados. Por outro lado, Thiago Pereira e Henrique Barbosa não conseguiram se classificar paras as semifinais dos 200m peito e Joana Maranhão foi eliminada nos 200m borboleta ficando na 22ª colocação no geral.

  O revezamento brasileiro no 4x200 foi o último colocado na sua série e está fora da final.

(Final Sports)

       Cielo sente o cansaço mas avança para semifinal nos 100m livre

  O velocista César Cielo sofreu, mas passou às semifinais dos 100 metros livre da Olimpíada de Pequim.O cansaço foi tamanho que o nadador teve que se sentar no chão durante conversas com jornalistas após a prova, no qual marcou o 7º melhor tempo.

"Hoje eu quase vi Jesus de novo", brincou o nadador, mostrando estar exausto depois de ter nadado com o tempo de 48s16.O líder das eliminatórias foi  o australiano Eamon Sullivan, recordista mundial, que cravou 47s80, na mesma bateria do brasileiro.

Afirmando ter se sentido muito mal durante a prova, Cielo disse que vai assistir às filmagens de sua bateria para tentar melhorar o tempo quando voltar ao Cubo D´Água para tentar uma vaga na final Olímpica.

A final dos 100m livre, que não conta com a participação do fenômeno norte-americano Michael Phelps, é uma das provas mais equilibradas dos jogos.Nas eliminatórias, cinco atletas nadaram na casa dos 47s, Sullivan, Stefen Nystrand (Suécia), Alain Bernard (França), Brent Hayden (Canadá) e Piter van der Hoogenbad (Holanda).

(News Yahoo)



- Postado por: Pricy às 03h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




O manual do superatleta

   Não adianta querer, é preciso poder ser um astro do esporte;

               

 

  Vários superatletas  escreveram seu nome na história do esporte após a Olimpíada de Pequim. Jovens pelo mundo todo  tentaram seguir os passos de seus ídolos para também, em um futuro próximo, subirem no pódio olímpico. Mas qual será a fórmula para se atingir o rótulo de superatleta? Muitos são os fatores que podem ajudar a determinar se um praticante de uma modalidade será apenas “mais um” ou se tornará um astro. Estrutura física, metabolismo e aspectos neuromotores e psicológicos são alguns deles. O ambiente político-social também colabora bastante para se atingir o sucesso. Isso para não falar dos equipamentos a serem utilizados em cada disputa. É só lembrar do maiô LZR Racer, que, com forma anatômica, senso estabilizador, menor retenção de água, menos peso e mais adaptado ao corpo do atleta, ajudou muita gente a quebrar recordes mundiais na natação nos primeiros meses deste ano, assim como nas Olímpiadas. Além de tudo isso, evidentemente, conta-se com o talento nato de cada um.

  O melhor caminho, o mais rápido, menos frustrante e com maior chance de sucesso é conseguir conciliar o biótipo do atleta com o esporte a ser praticado. Afinal, décimos de um segundo separam o primeiro do quarto lugar. A diferença no desempenho entre atletas de elite é absurdamente pequena. Por isso, melhor que os grandalhões sigam para o basquete e vôlei. Atarracados vão para as lutas. Aqueles que tiverem muita flexibilidade, se forem altos, vão para a natação, enquanto os baixinhos concentrarão forças na ginástica. “As exceções existem para se confirmar as regras”, afirma Victor Matsudo, diretor-geral do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (Celafiscs). Isso explica fenômenos como Garrincha e suas pernas tortas no futebol, o “baixinho” nadador Ricardo Prado, recordista mundial, ou o nadador negro Anthony Nest, medalha de ouro na Olimpíada de Seul, “O esporte de alto rendimento não é para quem quer, é para quem pode”, diz Matsudo.

  O Celafiscs criou uma forma para a medição de talentos, chamada índice Z, reconhecida como referência como estudo pelo Comitê Olímpico Internacional. O estudo consiste em comparar os resultados de um atleta com a média da população de mesma idade e sexo. Segundo Matsudo, os superatletas Oscar, Marcel, Paula, Hortência (craques eternos do basquete) e João do Pulo (recordista mundial do salto triplo em 1975) obtiveram índices Z 99,99% melhor que a média da população, quando ainda estavam no início de carreira, demonstrando que tinham um futuro brilhante pela frente. “Para ser um superatleta não basta ser um pouquinho melhor, mas 99,99% dá para confiar. O garoto não vai apenas ser bom em competições menores. Ele vai disputar uma Olimpíada”, diz Matsudo.

  Por isso, um primeiro passo seria detectar a aptidão de cada criança. Segundo Matsudo, um bom método é se aplicar a “lei dos 10%”, utilizada na Alemanha. Em um teste preliminar com 200 mil crianças, 20 mil saem para uma análise mais específica. Daí, 2 mil prosseguem para as escolinhas de esporte, dos quais 200 vão para a elite e 20 atingirão o nível olímpico. No Brasil, o vôlei é a modalidade que mais se aproxima deste padrão. Alberto Silva, técnico de natação do Pinheiros e da seleção brasileira, ainda sonha, assim como o presidente da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, com a ‘cidade da natação’, mas comemora o fato de a modalidade já conseguir manter boa parte de seus melhores atletas no País, como por exemplo Thiago Pereira, que cai na água seis vezes por semana para nadar 220 quilômetros por mês, em fase de treinamento duro. “Já temos um caminho a seguir. Tecnicamente, a natação brasileira está no mesmo nível das grandes potências. Desde Atenas, em 2004, que a maioria dos nadadores não precisou ir treinar no exterior para obter resultados.” Cesar Cielo, que ao lado de Thiago carrega tiveram as melhores chances de medalha para o Brasil na China, e que conquistou a sua medalha, ainda treina nos EUA.

      ACASO

  “A maioria dos nossos superatletas no atletismo surge graças ao acaso”, afirmou Nélio Moura, técnico de vários atletas, como Maurren Maggi, Keila Costa e o panamenho “abrasileirado” Irving Saladino, campeão mundial do salto em distância. Nélio se refere a exemplos como o de Claudinei Quirino, que dez anos antes de ganhar a medalha de prata com o revezamento 4x100 na Olimpíada de Sydney, em 2000, trabalhava como frentista. Ou de Jadel Gregório, foi um grande candidato a subir ao pódio de Pequim no salto triplo, mas infelizmente não conseguiu sua medalha e que, apesar do forte porte físico, iniciou no atletismo no salto em altura, modalidade que exige atletas mais longilíneos.

  Mas a partir de 2009, o atletismo brasileiro terá sua ‘cidade’. Será construído em Bragança Paulista o Centro de Treinamento de Alto Nível da IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo) na América do Sul. O projeto do arquiteto Celso Greon inclui, ainda, pista de aquecimento coberta, área específica de treinamento para lançamentos, salas de musculação e piscina, entre outras instalações. “Este complexo esportivo será tão bom quanto os melhores já existentes em países como Itália, Espanha, Finlândia e Austrália”, diz Roberto Gesta de Melo, presidente da Confederação Brasileira de Atletismo.

    As virtudes mais importantes:

Atitude

Coragem

Perseverança

Compromisso

Disciplina

Organização

Planejamento

Auto-estima

Alegria

Flexibilidade

Resistência à dor física e

psicológica

Capacidade de recuperação

Autocontrole

Humildade

Ética

Lealdade

Fair-play

Capacidade de lidar

com público e imprensa

Ter metas


   
As falhas mais comuns:

Falta de disciplina

Falta de concentração

Erro na dosagem na quantidade de treinamento

Falta de avaliações periódicas

Confiar demais no técnico

Acomodação

Falta de motivação

Pressa por resultados

Impaciência

Cobranças por erros cometidos no passado

Falta de boa administração do tempo

Falta de lazer

 

(Estado.com)



- Postado por: Pricy às 01h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




César Cielo e Thiago Pereira aprovaram a piscina do 'Cubo D'Água!

   César Cielo Filho e Thiago Pereira , consideraram que a piscina do chamado "Cubo D'Água" era muito veloz, inclusive mais que o esperado, o que os mantiveram muito motivados para as competições olímpicas.

"Fiquei um pouco surpreso, é muito rápida, é uma estrutura maravilhosa a que construíram aqui, é a melhor piscina em que já nadei até agora", disse Thiago após uma sessão de treinos de duas horas na tarde de Pequim.

   Para Cielo, parecia "que a piscina tinha 48 metros" e não os tradicionais 50 devido à facilidade de movimentação.

   Nadadores de todo o mundo, entre eles a maior estrela da natação mundial, o norte-americano Michael Phelps, dividiram a piscina para um treinamento ordenado, no qual vários competidores se revezavam nas raias.

   O 'Super Thiago' disse que está "muito mais tranqüilo do que em (Atenas) 2004" graças ao que considerou uma preparação melhor.

   "Espero obter um bom resultado, estou bem tranqüilo e bastante motivado", completou Thiago antes do inicio das competições em Pequim.

Já Cielo ressaltou à AFP que "a piscina parece ser muito rápida".

   "Era basicamente o que eu esperava, agora espero nadar rápido, nada mais", acrescentou o nadador de 21 anos, que disputou as provas de 50 e 100 m livre junto com os mais rápidos do mundo, como o australiano Eamon Sullivan, o francês Alain Bernard e o holandês Pieter van den Hoogenband.

   Com uma piscina mais rápida, o duelo nessas provas entrou  para a história e Cielo que já esperava tirar proveito da intensa rivalidade e da pressão que pesa sobre os ombros dos outros nadadores, aproveitou para fazer  sua própria história.

   "Acho que os 50 m livre será a prova mais disputada de todos os Jogos, não sei quem vai vencer", disse Cielo, sem nem ao menos pensar que ele seria o grande vencedor.

   O Brasil surgiu como o único país latino-americano com chances reais de alcançar um pódio no "Cubo D´ Água", embora para isso Thiago, Cielo e companhia teriam  que se colocar à altura de norte-americanos, australianos e europeus, algo que não parece fácil, principalmente considerando que eles são a grande potência mundial.

   Thiago afirmou que não pensa em seus rivais e se concentra no trabalho, enquanto Cielo foi mais além: "tenho confiança de que vou nadar muito rápido. Eu apostaria dinheiro em mim".

   (Cielo simplesmente não existe... Ele é o máximo!!!)

   Mesmo com o fenômeno Michael Phelps no caminho, a  natação brasileira foi para Pequim otimista, e eu acredito que as medalhas de Cielo são a prova disso, além de ser a maior delegação da história do Brasil.

   A atuação brilhante da natação brasileira nos Jogos Pan-Americanos do Rio fez a torcida brasileira sonhar com um bom desempenho também nos Jogos Olímpicos de Pequim. No entanto, levando em consideração a diferença de nível entre as duas competições, foi difícil o Brasil se destacar tanto nas Olimpíadas da China.

    Thiago Pereira, no medley, Kaio Márcio, no borboleta, e César Cielo, no livre, foram as grandes promessas de medalhas da natação brasileira. Mas eles não estavam só. O Brasil levou a Pequim a maior delegação de natação da história dos Jogos Olímpicos, com 27 nadadores, contando os três da maratona aquática. E, ao que tudo indicou, é melhor não só na quantidade, como na qualidade.

   Em contrapartida, a seleção americana, maior potência mundial da modalidade, também prometeu não brincar em serviço. Com o fenômeno Michael Phelps e outras estrelas em sua equipe, os Estados Unidos já saiu em grande vantagem em relação aos outros países. Mas houve quem disse que essa seria a disputa mais acirrada da natação em Jogos Olímpicos.E eu creio que foi. 

   Se não bastasse o aumento de qualidade e quantidade de atletas na briga pela medalha dentro d'água, o polêmico "maiô espacial", o LZR Racer, apimentou ainda mais a competição, com promessa de muitos recordes mundiais, que aconteceram.

 



- Postado por: Pricy às 02h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




César Cielo: "Se o Phelps tivesse nadado a final, eu seria ouro também"

 Medalhista de ouro nos 50m nos Jogos Olímpicos de Pequim, o brasileiro não acredita que Michael Phelps agüente nadar a prova de velocidade.

    

  O nadador César Cielo afirma que manteria a primeira colocação na prova que lhe rendeu o ouro olímpico (50m), mesmo se o fenômeno americano Michael Phelps estivesse entre seus adversários na piscina. Respondendo a perguntas de internautas, o brasileiro diz que Phelps não agüentaria a prova de velocidade.

 "Acho que eu chegaria no mesmo lugar que eu cheguei. Não querendo ser metido, mas acho que o Phelpls não agüentaria nadar os 50m com a gente. Nos 100m, ele até já mostrou que tem uma força, abrindo o revezamento americano em Pequim, mas os 50m é uma prova difícil para ele. Se ele cumprir o que vem dizendo e se arriscar nas provas de velocidade, nós vamos poder conferir isso na prática. Mas eu estarei preparado, não quero deixar a peteca cair não", garante César.

  Cielo aproveitou para defender o colega de equipe Thiago Pereira. Em sua opinião, Thiago nadou bem, chegou a duas finais e não merece ser tão criticado pelos brasileiros. O medalhista de ouro também apontou suas preferências femininas, revelou não ter namorado durante a preparação para as Olimpíadas e comparou a estrutura de treinos no Brasil com a dos Estados Unidos. Para ele os brasileiros ainda carecem de competições e piscinas de alto nível.



- Postado por: Pricy às 03h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




"Tudo vinha dando errado até a medalha de bronze"

                                          

   Depois da entrevista coletiva concedida no Cubo D'água após a conquista da medalha de ouro nos 50m livre, César Cielo comentou, já no caminho para o exame antidoping, que não vinha bem durante o ano.

"Briguei muito com meu técnico nessa temporada. Tudo vinha dando errado até esse bronze nos 100m livre. Depois começou a dar certo. Se o terceiro lugar nos 100m livre não tivesse saído, acho que também não conseguiria essa de ouro", afirmou o nadador brasileiro, com a medalha no peito.

   Depois de fazer apenas o 8º melhor tempo, e por muito pouco quase ficou fora da final, Cielo nadou na raia 8, e segundo ele próprio, extremamente difícil de conseguir uma medalha.Mas ele conseguiu, uma de bronze, chegando junto com o americano, acho que com isso ficava evidente o quanto Cielo ainda podia fazer naquela piscina.Ao sair da piscina, em meio a lágrimas, Cielo na entrevista, disse que ganharia o ouro, poderia ser pretenção de sua parte, tanta convicção, mas para quem havia assistido minutos antes sua performace no Cubo D´Agua, diria que não.E ele disse, e nós acreditamos.Era só esparar, espera dura, mas inevitável, e lá estava ele, no centro, raia 4, caindo na piscina e fazendo aquilo que sabe fazer melhor, nadar... E é assim que nascem os heróis.

Assim nasceu nosso herói das piscinas, nosso herói olímpico.

César Cielo, herói do Cubo D´Água.



- Postado por: Pricy às 22h09
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




César Cielo...Esse é o nome!!!

         

   César Augusto Cielo Filho, o mais recente herói do Brasil, dono do único ouro da história da natação brasileira em Olimpíadas, recordista olímpico dos 50m livre e bronze nos 100m livre, nasceu em 10 de janeiro de 1987 em Santa Bárbara d'Oeste, interior de São Paulo.

César começou na natação aos 8 anos. Antes, praticara um pouco de judô e vôlei. Seu ídolo era Gustavo Borges, que depois virou conselheiro do nadador. César Cielo despontou no cenário nacional após quebrar recordes de outro ídolo, Fernando Scherer, o Xuxa, que se tornou depois seu empresário.
Cielo festeja o ouro. Foto de Ivo Gonzalez/O Globo - 16/8/2008

Com 1,96m, César Cielo mora desde 2006 em Auburn, Alabama, nos Estados Unidos. Ele estuda administração e treina na Universidade de Auburn. César Cielo competiu sete vezes pelo Auburn Tigers no NCAA, tradicional campeonato universitário americano de natação, na Universidade de Auburn.

Cielo brilhou nos Jogos Pan-Americanos do Rio, em 2007.

Ganhou três medalhas de ouro e uma de prata. As três vitórias foram nos 50m livre, 100m livre e no revezamento 4x100m livre. A segunda colocação foi no revezamento 4x100m medley. O nadador também ganhou a medalha de ouro nos 50m e 100m livre do Grand Prix de Missouri/EUA 2008 e a de prata no revezamento 4x100m livre do 7º Mundial em Piscina Curta de Indianápolis/2004.



- Postado por: Pricy às 19h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////




O mais recente herói do Brasil!!!

 

 Um momento inesquecível. Em que após apenas 21s30, César Cielo escreveu o nome da páginas dos campeões olímpicos. Não deu tempo nem para respirar. A natação brasileira conquistava a primeira medalha de ouro nos Jogos.

 O dia do nosso medalhista dourado, César Cielo começou às 6h30min em Pequim, quando acordou. Praticamente quatro horas antes da prova. O nadador não perdeu o sono por causa do nervosismo. Era a rotina estabelecida pelo treinador, o australiano Brett Hawke.

"O Brett acha que o corpo demora a acordar. Aí me faz levantar e ficar fazendo alguma coisa",explica Cielo.

Ele ficou concentrado. Pensativo. Já havia estabelecido a marca que queria na cabeça: 20s98. No café da manhã, dois kiwis e ovo mexido. A saída da Vila Olímpica aconteceu por volta das 9h. Para ficar "pilhado" para a prova, Cielo escutou três vezes a música de abertura do reality show americano "The Contender", que tem como um dos compositores o brasileiro Hans Zimmer. O programa é apresentado pelo ex-boxeador Sugar Ray Leonard e pugilistas amadores duelam até surgir um campeão.



- Postado por: Pricy às 00h22
[ ] [ envie esta mensagem ]

\\\\Fim de Post - Não Deixe de Comentar!////